Centenário de Maravilhas

Cidade turística, que mescla ultimamente ares de interior com aspirações de cidade grande, continua sendo um dos cinco destinos mais visitados no Brasil. Com mais de 260 mil habitantes de mais de 80 etnias, Foz do Iguaçu é uma cidade multicultural, o que mostra seus variados pontos turísticos. No mês de junho, Foz do Iguaçu celebra 100 anos de sua fundação.

O território foi declarado Villa Iguassú em 1910, tendo pouco mais de dois mil habitantes, sendo distrito de Guarapuava e deixando então de ser colônia militar. Em 10 de junho de 1914, Vila Iguaçu ganha um prefeito e uma câmara de vereadores, sendo elevado à categoria de município, vindo em 1918 a receber o nome de Foz do Iguaçu.

As Cataratas do Iguaçu aparecem como um dos lugares mais conhecidos e visitados. Foram descobertas em 1542 por Alvar Nuñez “Cabeza de Vaca”, desbravador espanhol, e durante algum tempo na história da cidade, pertencia a uma propriedade particular. Quem interviu para que esta maravilha fosse aberta a público foi Alberto Santos Dumont, em 1916. Em 1939, foi criado o Parque Nacional do Iguaçu, que foi reconhecido em 1985 como Patrimônio Mundial da Humanidade, pela Unesco. Em 2011, as Cataratas foram eleitas uma das 7 Novas Maravilhas da Natureza.

Foto: Renato Serig

Foto: Renato Serig

Não podemos falar de Foz sem mencionar a Maravilha da engenharia, construída a várias mãos: a usina de Itaipu. O tratado foi feito em 1974 e até 1982, o ano em que foi oficialmente inaugurada, trouxe para o município pessoas de todos os cantos do país. Mas sua construção apenas foi concluída em 2007, com a colocação das duas últimas turbinas.

itaipu

Concretizamos a relação com nossos vizinhos  a partir da construção das duas pontes: A da Amizade em 1965, que nos liga a Cidade do Leste, Paraguai e em 1985 a ponte Tancredo Neves, à Argentina, por Porto Iguaçu, formando assim a Região Trinacional. Cada pessoa que veio para Foz trouxe um pouco de sua antiga casa, suas culturas e seus costumes, o que enriquece ainda mais a cidade. A colônia árabe nos presenteou com sua mesquita; a chinesa, o templo budista. A turma que veio estudar na Universidade Federal da Inegração Latino-Americana (Unila) movimentou ainda mais com seus eventos acadêmicos.

Estas partes tão diferentes já convivem tão bem no dia a dia que  toda essa mistura acontece naturalmente, compondo todo o ambiente desse espaço e envolvendo diversas etnias, culturas e realidades. Tem funcionado desta form durante 100 anos, e a esperança é que funcione ainda melhor nos séculos que estão por vir.